Matéria publicada dia 25 de novembro, no jornal The New York Times, por Dan Horch, fala que o fundador da Azul Linhas Aéreas, David G. Neeleman, recorreu a China para arrecadar fundos. A companhia aérea anunciou na terça-feira (24), que vendeu uma participação de 23,7 por cento para o grupo chinês HNA, por US $ 450 milhões. O grupo, que no início deste ano comprou a Swissport International, uma companhia de serviços aéreos de carga, por US $ 2,8 bilhões, também é proprietário da China Hainan Airlines. HNA também é ativo em hospitalidade, varejo e serviços financeiros. Apresentou receita de US $ 28 bilhões no ano passado.

hna-groupA companhia aérea anunciou na terça-feira (24), que vendeu uma participação de 23,7 por cento para o Grupo HNA, da China por US $ 450 milhões

A companhia aérea anunciou na terça-feira (24), que vendeu uma participação de 23,7 por cento para o Grupo HNA, da China por US $ 450 milhões

A reportagem conta que foi a segunda vez que a  Azul recorre ao capital chinês este ano. Em maio, David G. Neeleman levantou US $ 200 milhões do Banco Industrial e Comercial da China, e um porta-voz da empresa disse que planeja levantar mais US $ 200 milhões do bancos chineses antes do final do ano. As empresas chinesas estão aumentando seu interesse no Brasil. A Petrobras assinou um acordo com bancos chineses, em maio, para  financiamento de US$ 10 bilhões, e em outubro, mais US $ 2 bilhões. A Azul não está olhando apenas para China. A empresa também vendeu uma participação de 5 por cento a United Airlines por US $ 100 milhões em junho, segundo o porta-voz da empresa.

Comente :