Em 19/09 a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) autorizou a empresa chinesa Hainan HNA a comprar 51% das ações do consórcio que administra o aeroporto internacional do Rio de Janeiro Antônio Carlos Jobim, o Galeão.

HNA GroupA empresa chinesa, que tem participação na aérea Azul, na portuguesa TAP, entre diversas outras companhias do segmento pelo mundo, assumirá a participação da Odebrecht no consórcio.

A Changi Airports, empresa que administra o terminal de Singapura, permanecerá na sociedade. Em função disso, a ANAC não solicitou uma nova habilitação técnica para a operação do aeroporto.

A saída da Odebrecht do aeroporto do Galeão faz parte da estratégia de desinvestimentos, em busca de sobrevivência para a companhia. A empresa vem sofrendo com a falta de fontes de financiamento desde a revelação dos escândalos de corrupção, relacionados à Operação Lava-Jato.

Para o Brasil, é mais uma infraestrutura importante do país que passa a ser controlada pelo capital estrangeiro.

Comente :