A Gol comemora primeiro ano do seu serviço de internet a bordo com metade da frota adequada ao serviço. Anuncia também que até o final de 2018 a facilidade estará presente em todos os seus aviões.

No primeiro ano do serviço, com 60 aviões adaptados, a empresa contabilizou mais de 250 mil acessos ao sistema. Quando lançado o serviço era oferecido como cortesia, agora, a conectividade precisa ser comprada em pacotes pelos viajantes.

Para o diretor de produtos da Gol, Paulo Miranda, a possibilidade de se manter online durante todo o voo é um importante atrativo para a escolha da companhia por cada vez mais passageiros.

A adaptação das aeronaves é toda feita pela própria Gol com uma equipe de 90 técnicos que atuam no Centro de Manutenção de Aeronaves da empresa em Confins (MG). (foto: divulgação Gol)

 

Facilidade custa caro

O acesso, que é realizado no dispositivo do cliente, seja um notebook, celular ou tablet, promete velocidades de até 15Mb/s.

Mas a comodidade tem um custo que varia de acordo com o serviço utilizado e a duração da viagem. O mais básico, para utilizar apenas aplicativos de mensagens nos voos mais curtos, sai por R$ 8,00. Já para navegar na internet e assistir a vídeos nos voos mais longos o passageiro pode ter que desembolsar até R$ 60,00.

 

Avianca não cobra

A concorrente Avianca, que até o momento conta com apenas 15% da frota adaptada, ainda não faz a cobrança pelo serviço. A empresa prevê que até o final do ano possa disponibilizar a facilidade em 90% da sua frota. É provável que, ampliando a cobertura, também comece a cobrar pelos dados trafegados nas alturas.

Comente :