Campanha Salarial 2015/2016 da Fentac aposta na crise marolinha e naufraga frente às aéreas.

No Aerofolha de 27/01, informativo do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre, a direção da entidade deu como manchete o “naufrágio” da negociação salarial desse ano.

Talvez o naufrágio seja na verdade da campanha salarial da CUT, Fentac e do Sindicato de Porto Alegre que apostaram  na teoria de “crise marolinha”.
É evidente que o País vive um momento de crise e recessão econômica, e mesmo que a aviação leve mais tempo para ser afetada, é natural que os empresários do setor usem a crise como desculpa para achatar os salários.
O Sindicato e a CUT erraram ao tentar enganar os trabalhadores que não existe crise. Erram por seguir uma cartilha do Governo que tenta nos fazer acreditar que tudo que vemos nos indicadores econômicos, em toda a mídia do País, e no dia-a-dia como se fosse uma grande enganação.
Quem se convence com esse discurso? Só os incautos.
Nossa categoria é politizada e está longe de ser incauta como espera a CUT. É por isso que, mesmo sabendo que as aéreas ainda não tenham seus números afetados pela crise, elas devem estar se preparando para ela, isso sem mencionar a TAP/ME que vem de uma histórica de crise interna já há alguns anos.
É por isso que reconhecemos a crise, mas acreditamos que só há uma saída para ela: o trabalho.
Não acreditamos no discurso da marolinha, mas sim que NÓS TRABALHADORES SOMOS A SOLUÇÃO para a crise e não os causadores dela.

Comente :