A mudança unilateral de contratos de plano de saúde tem sido uma constante junto a TAP-ME, assim como a falta de consideração da empresa quanto a mudança nas redes de atendimento dos trabalhadores.

Quando em 2013 a TAP/ME resolveu não renovar a Unimed, o hangar 4 da empresa virou o epicentro de diversas mobilizações e paralisações. Além da manutenção do plano buscavam ampliação de salários, cesta básica, e uma melhor política de promoções.

Como resultado dessa mobilização 24 funcionários foram demitidos, mas para controlar os protestos a empresa concedeu um pacote de benefícios:

* Ampliação no valor da cesta básica.

*  Direito a utilizar o sistema de passagens nacionais com descontos.

*  Manutenção do plano de saúde com o pagamento de uma contribuição de R$ 1,00 para titulares e dependentes.

O Sindicato nunca “conseguiu” reintegrar os demitidos.

Comente :